• Minha prima era muito gostosa quando tinha seus quinze anos. Ela entrou na adolescência pensando que ainda estava na infância, por isso tinha hábitos misturados. Andava só de biquíni pela casa de praia, onde toda a família passava o verão. Sentava no colo da gente. Vivia sem sutiã, os peitinhos duros encostados na blusa fina... Agia, enfim, como criança, sem saber que já não era – pra dizer a verdade, parecia que também os outros ainda não haviam percebido que ali estava uma mulher.

    Lembro que um dia, nas férias de 200..., fomos jogar frescobol. Ela estava com um biquíni até comportado, branquinho. Tinha um corpinho forte, todo durinho, cheio de carne, uma bundinha arrebitada, peitinhos pontudos e um pouco fartos. Era branca, muito branca, de cabelos pretos escuríssimos. Comecei a reparar que ela gostava de se abaixar, de bunda pra mim, quando ia pegar as bolas que eu mandava fora. Ela corria, balançando aquelas ancas deliciosas, depois de abaixava, deixando eu ver o volume da bocetinha espremida no pano. Não sei se ela fazia aquilo inocentemente ou por malícia, mas de fato tudo se repetia e se demorava mais que o normal, e ela sempre voltava com uma certa cara de safada; e a bola na mão... De repente, do nada, ela deu uma bolada forte na minha barriga, sorriu e correu pra água.

    - Nem me pega!

    Corri atrás dela, peguei-a e a joguei na água. Nisso de agarrá-la e rodá-la no ar, meu pau deslizou entre suas nádegas, e quando caí na água ele já tava duro. Depois ela sorriu e mergulhou, fazendo sua bundinha molhada subir à superfície, mostrando a bocetinha preta e a roelinha rosa debaixo do biquíni, que ficou um pouco transparente quando molhou.

    Brincamos por um tempinho de jogar água, meio de longe e tal. Foi o tempo de meu fogo baixar. Então fomos pra casa. 

    A partir disso, nossa relação se estreitou, e ela vivia brincando comigo, sempre com algum contato físico. Ou me agarrava por trás e me prendia, ou batia na minha cabeça e corria, ou sentava no meu colo pra comer salgadinho e não me deixar ver TV.

    ***

    Não sei bem como aquilo aconteceu, mas um dia, estando a casa cheia de gente, ela passou, deu um tapa nas minhas costas e correu pro andar de cima. Todos que estavam na sala começaram a o sorrir. Corri atrás dela de chinelo na mão.

    - Sua moleca!

    Ela entrou no quarto em que minha tia estava hospedada e caiu na cama. Sem bem pensar, fechei a porta e caí por cima dela, beijando-lhe a boca profundamente. Ela me pegou pela nuca, meio assustada, mas sugou minha língua a quase arrancá-la. Botei o pau de fora, ela pegou, apertou, alisou, olhou pra mim e depois pra porta. 

    - E se alguém subir?, perguntei.

    - Eles pensam que a gente tá brincando. Qualquer coisa você passa pro seu quarto pela varanda...

    Travei a porta, louco de tesão, botei o pau para fora , enfiei tudo na boca dela fazendo pagar um belo boquete enquanto enchia a mão com seus peitinhos deliciosos. Ela não reagiu, ficou chupando, aprendendo, agarrando a base do membro, sentindo-o com a língua e os dentes e os lábios. Não me agüentando de tesão, gozei em dois minutos. Ela engoliu tudo, lambeu a cabeça da minha pica, ajeitou os peitinhos no biquíni, deu um tapa nas minhas costas e saiu correndo pra sala. 

    Fui direto pro meu quarto, atônito. Bati uma punheta e me acalmei. Respirei um pouco mais. Estava sem acreditar nem entender nada. Depois desci.

    Ela estava com as primas menores, na areia, brincando, e me tratou com total naturalidade. 

    À noite todos saíram prum parquinho de diversões que estava na cidade, mas eu fiquei em casa. De repente batem à porta. Era ela, com uma prima mais velha. Haviam voltado antes dos outros. Foram dormir. Me deitei, pensando:

    - Ela vem; ela vem... Vai bater na porta quando a outra dormir. Vou meter o pau na boca dela de novo!...

    Mas nada aconteceu. Fui dormir tarde, olhando pra porta o tempo todo, mas nada.

    Bem cedinho, pelas seis da manhã, com todo mundo ainda dormindo, alguém bate no meu quarto. Era ela, me chamando pra jogar. Tomo um leite com chocolate e vou nessa. Ela estava usando o mesmo biquíni branco, e o mesmo jeito natural de agir. Descemos, passamos pelo jardim e seguimos. Quando passávamos pela churrasqueira, não resisti: empurrei-a pruma pequena despensa que havia por ali, atrás das mesas de jogo, meti-lhe um beijo e saquei o pau. Mas ela não chupou. Ficou em pé, me afastou e me olhou bem fundo nos olhos. Lentamente, virou-se de costas pra mim, abaixou o tronco e segurou-se em uma prateleira, enfiando o biquíni todo no reguinho. Meti o pau entre aquelas nádegas lindas, esfreguei muito. Ela começou a suspirar, a respirar fundo e rebolar. Abaixei o biquíni, esperando que ela o levantasse, mas ela não fez nada. Tremendo de tesão, encostei a cabeça da pica no anelzinho rosado, pressionei um pouco; não dava pra tentar a boceta, tirar o cabaço era fria – ah, foda-se, eu confesso que nem pensei nisso, queria era sacanagem mesmo, e notava que era o que ela também queria. A cabeça do meu pau beijava seu anelzinho, dilatando-o de leve, aumentando o contato quente, espremendo-se entre as nádegas brancas e macias. Ela virou a cabeça pra olhar, lambeu os lábios, tonta de tesão. Não me agüentei: gozei em seu reguinho. Esfreguei tudo em sua bunda e na roelinha. Ela passou a mão na porra, depois lambeu, e se ajoelhou para me fazer um boquete. Gozei de novo, rapidamente, quase sem querer. Enchi sua boca outra vez, e então fomos jogar frescobol, como se nada tivesse acontecido. 

    ***

    À noite, eu conversava na varanda com meus tios, pais dela, quando ela chegou e se sentou em meu colo, com total naturalidade, que tentei imitar, me concentrado pra evitar uma ereção. Ela olhou pros pais e disse:

    - Sabe o que eu quero?

    - O quê, minha filha?

    - Tomar sorvete e passear na praça!

    - Tá, mas só seu primo quiser levar você; sozinha você não vai!...

    ...Que puta sorte. Nem refleti. Meti-a no carro e fomos prum motelzinho de beira de estrada. Entrei já beijando a boca dela. Saquei seus peitinhos, chupei-os, mordisquei, lambi o biquino cor-de-rosa, duro. Tirei a calcinha preta e pude ver de novo aquela bunda grande, dura, branca, e a bocetinha de pentelhinhos pretos, lisos. Chupei seu grelinho, lambi seu cu; ela quase se acabou de gemer e gritar. Do nada, sem dizer palavra, ela virou de quatro e abriu as nádegas, deixando o cuzinho rosado e molhadinho de saliva exposto, piscado-o, a cabeça no travesseiro, os olhos fechados e a boca entreaberta numa respiração profunda e dilatada – um convite irresistível.

    Melei o pau de saliva, encostei a cabeça no roelinha e fui massageando seu clitóris, com cuidado pra não mexer no cabacinho intacto, que era nosso grande álibi. Ela endoidou, empurrou a bunda pra trás; a cabeça do meu pau rompeu a roelinha, entrou no cuzinho, ela gritou, quase chora, mas pediu mais, suplicou por mais. Meti devagar, entre sussurros e gemidos, naquela carne branca e gostosa, quentíssima e apertada. E fui enfiando, lento, pra não machucar o cuzinho virgem; que se abria, devorava a pica inteira. Ela mordia o travesseiro, apertava a fronha nos dedos, lambia os lábios. De repente ela veio com tudo pra trás e gozou, como um animal, bafejando, surpreendida pela novidade, um gozo demorado. Enquanto gemia, pediu pra eu meter com força. Obedeci e, depois de cinco estocadas profundas, gozei também, largando um monte de porra naquele cuzinho ardido e deflorado.

    Deitei ao lado dela, que me disse antes de eu respirar:

    - Agora quero meu sorvete...

    Ela me fez ficar em pé, ajoelhou-se e chupou meu pau pacientemente; e nem quis lavá-lo: o cacete foi direto de seu cu pra sua boca. Gozei de novo, paguei a conta e voltamos.

    No dia seguinte jogamos frescobol, naturalmente.

    O resto? O resto fica pra depois...

     


    votre commentaire
  • Ola, este é meu primeiro conto de muitos q ainda verão por aqui!

    Sou um tatuador bem safado q tem sorte com as clientes!

    Esta da história veio toda comportada com o filhinho e uma menina de 19 anos dizendo ser sua afilhada, da primeira vez para tatuar o nome de seu filho no ombro, uma loira bonita com uma bundona grande, mas a principio toda respeitosa, até chegar uma amiga, que se apresentou como Jade tabém loira de baixa de cabelos curtos, com uns 37 anos, com um corpo lindo, cinturinha e uma bunda apetitosa, mas com uma cara que não escondia uma mulher beeeeeeeeeeeem safada, ae ela comentou que tinha uma tattoo na bunda para cobrir, como ela estava de vestido, pedi p dar uma olhada, adorei quando ela ergueu seu vestido azul e me mostrou uma bundona linda com uma calcinha preta bem enfiada no meio dela, e uma tattoo antiga nela, comentei o trabalho que eu poderia fazer ela deu a ídeia de um dragão, e falou q tinha feito a tattoo com 19 anos, mas só poque tinha vontade de dar para o tatuador, mas disse que não teve coragem de fazer isso, não acreditei lógico mas disfarcei, então eu fiz um desenho ela voltou e marcou !

    Deixei a tarde livre para ela é claro, quando chegou sozinha toda perfumada, levei ela para a sala dos fundos, como trabalhamos em 3 tatuadores, tem uma sala no fundo para tampar com um biombo quando a tatuagem é em local intimo, começamos a conversar enquanto eu preparava a bancada, logo ela perguntou se podia tomar uma dose de uísque no que eu falei que sim, ela desceu na padaria em frente a loja e voltou com um copo grande cheio, e a medida que foi bebendo foi se soltando, tirou o vestido e ficou de calcinha e sutiã, e começou a falar besteira; adoro mulheres de calcinha e sutiã me excitam muito; eu como sou muito safado entendi a deixa e comecei a falar besteira também, fui colocar o decalque (transferir o desenho para a pele) e desamarrei a calcinha dela, passei a mão na sua bundona, ae perguntei:

    - "Vc naum se importa de Eu passar a mão na sua bunda não né?"

    - "Vc naum, pode ficar a vontade!!!"

    Ae demos risada, mas a imagem do fiozinho da calcinha todo enterrado naquele bundão estava me tirando do sério, até q eu falei:

    -"Posso tirar a calcinha do seu reguinho?"

    Ela simplesmente arrebitou a bunda e falou, 'Fique a vontade.'

    O clima foi esquentando, e eu falando besteira até começarmos a tattoo ela ja tinha tomado todo o wisk eu ja estava com o pau estourando dentro da calça!!!

    Já estava ficando louco de ouvir ela falar besteira deitada na maca de lado, sem calcinha de costas p mim com aquela bundona virada para o meu rosto, até que não aguentei e abri a bundona e dei uma linguada no seu cuzinho!!!

    Pude perceber seu corpo todo se arrepiando e ela deu um gemidinho, olhou para mim:

    - "NOSSA VC É MUUUUUUUUUUITO SAFADO!!!"

    E ficou quieta por um instante, até q eu voltei a tatuá-la, mas por pouco tempo, até que ela pediu para parar um pouco e virou para mim pedindo um papael toalha, no que eu indaguei o porque ela abriu as pernas e falou:

    -"Olha como minha bucetinha ta molhada, preciso me secar um pouco!!!"

    - "Naum precisa de papel naum, deixa q eu seco com minha lingua!"

    ataquei sua boceta com gosto e ela logo gozou, ai eu tirei meu pau p fora e pedi para ela deitar de ladinho e meti GOSTOOOOOOOSO na sua buceta quentinha!

    Fiquei metendo até ouvir barulho, era o dono do estúdio vindo para a sala dos fundos, me recompús rapidamente, ela se virou e fingi que estava tudo bem, o dono não engoliu muito não mas fingiu que acreditou e saiu logo em seguida!

    apesar dela ter gostado ficou meio receosa em continuar, também fiquei com medo poque tinha um casal se tatuando na sala da frente e um monte de gent na recepção!!!!

    Comentei q ela tinha um boceta muito gostosa de se chupar, no que ela respondeu:

    - "Você precisa ver a da Jade então, é pequenininha e bem molhadinha!"

    - "Que Jade, a sua comadre???"

    - "Ela não é minha comadre, é minha amiga!"

    - "Mas você curte chupar uma bocetinha?"

    - "Adoro, e de vez em qdo eu saio com ela, e quando voltamos dormimos juntas abraçadinhas e nos chupamos muuuuuuuuuito!!!"

    Nem precisa dizer q fiquei tarado né!!!

    Terminamos a primeira sessão e combinamos de sair os tres, ja que ela falou que sua amiga tinha se sentido atraida por mim, já rolou a segunda sessão da tattoo, mas eu conto em uma outra oportunidade!!!

    Você que tm vontade de dar para um tatuador, casal que o marido queira ver a mulher sendo tatuada em um local intimo e ainda ser bolinada, chupada e ver o macho gozando dentro da bunda pelo tatuador, ou qualquer tipo de fantasia deste tipo entre em contato comigo!

    Mesmo que queira só ser chupada, chupar um pau, ou ainda se exibir com roupa curta se mostrando toda para mim durante a tattoo, mesmo com o namorado, maridão corno ou voyeur, farei tudo pelo seu prazer!

    tatuador.safado@bol.com.br entre em contato, pode mandar numero de telefone q eu ligo, de preferencia de São Paulo, ou q possam vir para cá, gosto também de gravar xvideos para expor sua esposa puta na net!!!

    abraço as gostosas e aos cornos!!


    votre commentaire
  • Olá pessoal. Gosto de escrever neste site e a cada aventura procuro relatar com detalhes para todos apreciarem uma boa foda. Esta história que vou narrar aconteceu no dia 1 de Julho deste ano. Vamos ao fato.

    Como trabalho numa escola publica muitas mudanças vem ocorrendo com o novo governo. Na verdade até agora José Serra só tem fudido com a educação. Uma das mudanças é a troca de inspetor de aluno. No dia 16 de Junho começou a trabalhar conosco uma inspetora muito gostosa seu nome Maria Cristina. Quando cheguei na escola observei uma loira de 1,68 de altura, 45 anos, cabelos cacheados, cintura fina, coxas grossas e um bunda gostosa. Ela usava uma calça jeans colada ao corpo o que fazia destacar o tamanho do rabão. Como um bom tarado por bundas colei meus olhos naquele monumento. Fiz as apresentações.

    - Oi vai trabalhar conosco?

    - Vou começar hoje!

    - Seja bem vinda eu me chamo D. e você?

    - Maria Cristina!

    Feita a apresentação fui ao meu trabalho. Naquela semana fiquei colado no traseirão dela e pensando num jeito de chegar mais junto. Certo dia como não tinha aluno ficamos no patio conversando ao ver que Maria Cristina subia para as salas disfarcei e fui atrás.

    Ela estava organizando algumas carteira sozinha e aproveitei.

    - Quer que te ajude?

    - Não obrigada são só estas carteiras que estão fora do lugar!

    - Você vai participar do churrasco que estamos organizando?

    - Acho que sim!

    - Vem sim você vai gostar!

    - O problema é ir embora depois!

    - Eu te levo!

    - Imagina não quero dar trabalho!

    - Relaxa Cris eu sempre saio por aí de carro não custa nada!

    - Ah então tudo bem se não for te atrapalhar!

    Enquanto Cris arrumava as carteiras ficava de olho no bundão maravilhoso dela. Meu pau já estava duro na calça. Tinha que comer aquela bunda.

    A semana foi demorada devido a ansiedade. Pensava nos meios possíveis e imagináveis de conseguir comer aquela inspetora. Tomava todo o cuidado para que minha namorada não percebesse alguma mudança em mim.

    Na quarta feira dia 1º chegamos cedo para arrumar a mesa, a churrasqueira. Aos poucos professores e funcionários foram chegando. Começamos a tomar cerveja. Quando Maria Cristina chega fiquei mais animado. Ela usava uma calça branca que realçava mais ainda o rabão dela.

    - Que bom que veio Cris!

    - Já está na cervejinha né!

    - Pega lá no frizzer!

    Quando ela foi pegar a cerveja quase tive um troço com o tamanho da bunda. Que rabo lindo.

    Cris também já embalava na cerveja e caipirinha. Pensei comigo: é hoje que como essa gostosa. Apesar de divertido o nosso churrasco os professores e funcionários já começava a ir embora. Gelei quando uma das professoras ofereceu carona para Maria Cristina. Olhei para ela para que se lembrasse que eu eram quem a levaria embora. Para minha alegria ela ficou. Começamos a arrumar a bagunça. Terminado convidei Cris para irmos embora. No carro fomos conversando bobagens.

    - Gostou da bagunça Cris?

    - Pessoal bacana né!

    - Você gosta de festa, balada essas coisas?

    - Gosto!

    - E seu marido também gosta?

    - Sou separada a três anos!

    - A tá!

    - Quero ser livre para ir onde quero e ficar com quem eu quero!

    Ouvindo isto meu coração disparou. Não podia deixar esfriar aquele papo.

    - Então fica com alguém?

    - Tenho um namoradinho para o rala e rola!

    - Caramba Cris você é pra frente hein!

    - E meu filho a vida é para ser aproveitada. E você tem namorada?

    - Tenho!

    - Mas dá sua saidinha por fora?

    - Quando pinta um esquema sim!

    Como estava de moleton meu pau começava se avolumar na calça. Cris conversava comigo e olhava disfarçadamente. Como projetava comer aquela gostosa não tentava esconder o volume mas procurava mostrar um pouco mais.

    Chegando em frente de sua casa Cris me convidou para entrar. Enquanto estava na sala Cris foi pegar duas cervejas. Bebiamos e falávamos de tudo até chegar no assunto de sexo. Cris me pergunta discaradamente:

    - D. você faz sexo com sua namorada ou ainda não rolou?

    - Faço. Ela adora sexo!

    - Nossa então pega até fogo rsrsrs...!

    - Se pega. E você não dá suas trepadinhas?

    - Nem sempre. Meu namorado só pensa em futebol. Todo sábado e domingo vai jogar bola com os amigos e aí fico a ver navios!

    - Não acredito?!

    - Verdade. Por que o espanto?

    - Uma gostosa desta e o cara pensado em futebol!

    - Você me acha gostosa? O que te chama atenção em mim?

    - A bunda lógico!

    - Eu sabia do jeito que você me olhava na escola eu saquei o que você observava!

    Cris então levanta. Pensei que fosse levar uma bronca. Para minha surpresa ela vira de costa e empina a bunda bem na minha frente.

    - Pode olhar. Aproveita!

    - Nossa Cris que rabo lindo!

    - Passa a mão!

    Passava a mão com prazer. Não só passava a mão como também dava beijinhos. Cris então tira a calça ficando só de calcinha. Que bunda linda. Dava mordidinhas, beijinhos. 

    - Aaaaaaaaa...iiiiiiiisso...hhhhhhhhhhhhhh...

    Não aguentando mais tirei a calça e fiquei com o cacete apontado para o rabão dela. Cris então olha e diz:

    - Nossa D. que pintão gostoso vem comigo!

    Cris segura no meu pau e me leva até o quarto dela. Ela senta na cama e começa um delicioso boquete. Cris engolia com desejo meu cacete.

    - Iiissooo Cris chupa esse pau que ele é seu!

    Ela mamava como uma profissional. Minha preocupação era gozar na boca dela. Eu não queria gozar agora. Tirei a parte de cima dela e cai de boca nos peitinhos. Depois de bem chupados deitamos na cama e mais que depressa, pois não aguentava mais, enfiei minha rola na buceta molhada de Cris.

    - Aaaaaaaaaaa...delííííííciaaaaa...soca esse cacete vai!

    Comi a buceta com desejo. Ela gemia de prazer enquanto enfiava meu pau inteiro na bucetinha. Ficamos pouco tempo na xoxotinha dela pois ela me surpreendeu com um pedido:

    - Come meu cú, come! Eu quero esse cacete atolado no meu rabo e eu sei que você quer!

    - Quero e quero muito esse bundão Cris!

    - Eu sei. Eu percebia seus olhares para meu rabo. Agora ele é seu come com vontade!

    Terminou de falar e ficou de quatro empinando bem a bunda.

    - Vem D. mata seu desejo. Come esse cú que você tanto deseja!

    Passei saliva na cabeça e encostei no anelzinho dela.

    - Aaaaaaaaaaiiiiiiii...gostoso, agora empurra essa pica vai!

    Forcei e a cabeça entrou. Seu cuzinho parecia querer engolir meu pau pois puxava pra dentro.

    - Aaaaaaaaaaaaa Cris que delicia de cuzinho!

    Se a bunda dela parecia grande lá na escola, de quatro na cama ficou maior ainda. Tive até um pouco de dificuldade de colar no bundão dela. Cris se posicionou melhor para facilitar a penetração. Meu pau ficou interinho dentro daquele cú maravilhoso.

    - Huuuummmmmm...sssssssss...aaaaaaaaiiiiii...sssssssss...come seu puto, come safado. Arrebenta com minhas pregas seu tarado!

    Bombei forte no bundão da Cris. Suas carnes até balançavam conforme a socada que eu dava. Com aquela imagem maravihosa não aguentando gozei gostoso dentro do cuzinho dela.

    - AAAAAAAAAAAAAAAAA...delicia de bunda Cris!

    - Isso goza no meu rabo goza mau macho!

    Quando tirei o pau minha porra escorria para sua buceta. Que foda gostosa. Maria Cristina levantou rapidamente e foi lavar a bunda e a buceta para não sujar o lençol. Depois de limpa ficamos deitados descançando. Refeitos Cris ainda fez mais um boquete delicioso para mim até eu gozar em seu rosto. Tomei um banho, me troquei.

    - E então gostou D.?

    - Nossa adorei Cris!

    - Fica só entre a gente tá!

    - Claro. Que bunda gostosa Cris!

    - Eu sacava suas olhadas para minha bunda. Aí pensei, porque não dar pra ele?!

    - Valeu gata estava louco para comer sua bunda mesmo!

    - Depois das férias a gente combina outro esquema tá!

    - Para mim está ótimo.

    Nos despedimos com um beijo demorado.

    Galera não acredito até agora que comi o rabo desta inspetora. Podem acreditar pois foi uma experiência maravilhosa. Já estou na espectativa de comer de novo quando voltarmos das férias. Quando acontecer eu narro neste site ok.


    votre commentaire
  • Depois de nós conhecermos atráves de um site de xvidios fui convidada a ter o primeiro encontro pessoal com ele. Sempre frequentei a academia e posso me considerar uma das saradas vip. Entramos em um quarto ricamente mobiliado, com uma cesta sobre uma mesa de canto, contendo flores do campo, ao lado de uma cama arrumada com lençóis de seda na cor lilás. O meu parceiro me levou até a borda da cama onde me sentei e ele delicadamente me tirou os sapatos e, subindo as maos sob a minha saia até a altura da cintura, me tirou a meia e a calcinha. Me roçou a mão em todo o meu ventre, me deixando completamente acesa. Ele me desabotoou a blusa e tocou os seios comprimidos no soutien de mulher. Esse homem, já com alguma mechas brancas nos cabelos era muito bonito e realmente muito carinhoso. As lembrança me levavam aos primeiros anos do casamento. Eu estava extasiada com a idéia de reviver momentos de intensa ternura e fazer um sexo com prazer noturno e um furor inigualável. 

    Alias me dei conta de que necessitava mais do que nunca daqueles momentos. Ao me despir totalmente o meu parceiro me reclinou sobre as almofadas recostada na cabeceira da cama e começou a despir-se e eu fiquei ali admirando aquele homem maravilhoso, o seu corpo musculoso, seus braços fortes e sua cara de desejos. 

    Então ele se debruçou sobre mim com um beijo tão intenso que me doeu a alma, e nesse momento eu percebi que deixei de ser apenas a gata virtual do site de sexo onzebiu e deixei ele percorrer todo o meu corpo com suas mão passando pelos meus peitos, pernas, enquanto eu o abraçava e o puxava apertando-o em meu corpo. Ele me puxou pelos cabelos, levantou o meu rosto e começou a beijar o meu pescoço passando sua língua pela minha pele até chegar aos meus ouvidos e sussurrar palavrões do tipo " minha amante, puta ordinária". Estava inebriada, e comecei a passar as mãos pelo corpo do meu homem, pegando em suas nádegas, lindamente entumecidas pelos movimentos e contrações de todos os seus órgãos. Foi então que ele me deitou de costas, me encolheu as penas e começou a acariciar as minhas nádegas com sua mão ao mesmo tempo em que deliciosamente me acariciava a parte mais sensível do meu corpo. Sua boca maravilhosa me sugava a pele e minhas reentrâncias com tanto furor que eu não resisti e aconchegando-me a ele introduzi o seu bastão, duro como ferro, todinho em minha boca, fazendo movimentos circulares com a minha língua, enquanto lhe passava as mãos em suas partes mais escondidas. 

    Entramos juntos em êxtase total e depois de alguns minutos de extrema sensibilidade, percebi que o meu parceiro ainda queria continuar transando, eu também o queria. Era fogo demais para ser contido em poucos minutos. Me levantei e fiquei de quatro e o meu parceiro me tomou pela cintura como se fosse me transpor, introduziu-se em mim o quanto foi possível, fazendo movimentos de me empurrar e puxar, empurrar e puxar. Eu me sentia a própria égua coberta pelo seu cavalo em que a transa se processa com as patas do macho nas costas da fêmea. De repente os movimentos foram ficando mais intensos e, ofegantes, soltamos urros de prazer, juntos, em coro de duas vozes. Eu me deitei entregue `as almofadas de seda macia quando o meu parceiro, ainda excitado começou a passar a mão em mim e inclinado-se sobre meu corpo, começou a lamber os mamilos e eu sentia que aquele homem ainda não tinha exaurido todas as suas vontades. 

    Ele me queria mais. Comecei a acaricia-lo com as mãos e percebi que ainda teríamos mais tantas transas quantas vezes nos acariciássemos e comecei a beijar o meu parceiro na boca, no peito, na barriga. e tudo reacendeu em nós e voltamos a transa desta vez ele sobre mim, beijando-me a boca e fazendo movimentos de vai e vai.. vai e vem... vai vai vai.. vai.. vai. vem.. vem.. e nova explosão de prazer total. Descobri que o meu amante é melhor que o marido


    votre commentaire